segunda-feira, 17 de junho de 2013

O Brasil, dentro e fora do campo


Coluna no Notícias do Dia em 17/06/2013

Neymar fez um lindo gol, Oscar arrancou do meio de campo e deu um passe magistral para Jô fechar o placar contra o Japão. Foi um começo razoável do time brasileiro na Copa das Confederações contra um adversário nocauteado por dois gols no início de cada tempo. É o resumo do que de mais importante aconteceu na estreia da nossa seleção.

O Brasil chutou pouco e conseguiu ser eficiente, sem estrelismo, como pedi na primeira coluna. Ficou evidente que Neymar e Oscar são os protagonistas deste time montado por Felipão e que – faça-se justiça – tem muito do Mano Menezes, pelo menos em termos de nomes. Foi o Mano quem descobriu Luiz Gustavo e o contestado Hulk. Scolari trocou algumas convocações, caso de Ramires, mas os ingredientes para o produto final são os mesmos. O melhor de tudo, com ou sem treinos secretos, é que já se sabe o time que vai entrar em campo na quarta-feira contra o México.

Enquanto isso outro jogo está sendo jogado no país, junto e misturado com a Copa das Confederações. O povo foi às ruas protestar, no primeiro tempo contra a qualidade do transporte coletivo e o volume de investimentos públicos na construção dos estádios. O pontapé inicial dado em algumas das principais cidades brasileiras serviu para um lançamento primoroso que teve sequência nas jogadas da torcida no entorno do estádio Mané Garrincha. E lá dentro nas vaias ao presidente da FIFA, Joseph Blatter e à presidente Dilma Rousseff.

Depois do intervalo, após as primeiras manifestações e com o final do pequeno evento-teste que estamos tocando em algumas das sedes da Copa do Mundo, vamos saber se a população ficou satisfeita com o resultado. Ou se vai fazer apenas o tempo passar, ao invés de ampliar a sua pauta de reivindicações em busca de um placar mais elástico. Dentro do campo, por enquanto, vamos bem, obrigado, embora São Tomé esteja atuando como santo protetor de boa parte da torcida e da mídia.



Nenhum comentário: