quinta-feira, 26 de agosto de 2021

COMISSÃO DO QUE MESMO? DE ÉTICA?

 Federações moravam na aldeia, mas fingiam que não conheciam o Caboclo. E o pior é que ele pode voltar depois da suspensão. Tem mais um ano e pouco de mandato -

(O Lance) - "Um dia depois de a Comissão de Ética da CBF sugerir uma suspensão de 15 meses de para o presidente Rogério Caboclo, as 27 federações estaduais enviaram uma carta aberta ao cartola pedindo sua renúncia. A carta é uma importante resposta após a comissão considerar que o dirigente, acusado por uma funcionária de assédio moral e sexual, teve “atitude inapropriada”. O que está em jogo agora é mais uma tentativa de limpar a imagem da CBF, corroída ano após ano com escândalos envolvendo suas lideranças e por não tratar seus principais produtos com o cuidado e respeito devido. Com a punição branda recomendada pelo órgão que deveria zelar pela ética na entidade, o futuro da CBF se torna um enigma, que dificilmente não terá efeitos colaterais na próxima eleição e que de certa forma continuará rondando o ambiente da Seleção Brasileira até a disputa da Copa do Mundo. Além da manifestação de repúdio, as federações, quase sempre de mãos dadas com a entidade, precisam romper este ciclo para não se tornarem cúmplices. Abaixo delas estão clubes sedentos pela criação de uma liga, independente e sem gerência da CBF. A história precisa ser feita". E agora. (foto Caboclo/divulgação CBF)
Pode ser uma imagem de 1 pessoa e texto que diz "マ CBF BRASIL BRASIL cbf TV"
Curtir
Comentar
Compartilhar

quarta-feira, 25 de agosto de 2021

A TRAGÉDIA DO 'JÁ TEVE' PARA QUEM GOSTA DE CINEMA FORA DO CIRCUÍTO CHEGA A PORTO ALEGRE

Perdemos o Cinema do CIC, o Cine York, de São José, os cineclubes do Gilberto Gerlach e do Darci Costa e seu Art 7, peças de resistência dos filmes alternativos ou cine arte, como queiram. O Paradigma Cine Arte/SC 401 e o cinema do Multi Open Shopping/Rio Tavares resistem bravamente aos efeitos da pandemia. Até quando? Porto Alegre prepara-se para viver sua grande tragédia nesta área, com o anúncio do fechamento do Cine Guion, na chamada Olaria, Cidade Baixa. Cheguei a desfrutar desta preciosidade que tem quase três décadas de existência e duas salas. O espaço incluía no seu entorno bares e cafés muito charmosos. As guloseimas compradas na bombonière eram ensacadas em embalagens de um plástico especial que diminuía o barulho durante a projeção e ao final serviam


como "lixeira". Antes de o filme começar era projetado um slide pedindo para que os espectadores observassem silêncio, não colocassem os pés nas cadeiras e mantivessem o ambiente limpo. Alerta aparentemente desnecessário, mas quem ainda vai ao cinema hoje sabe que o comportamento de alguns frequentadores, aqui ou acolá, passa longe da boa educação. (foto Guion divulgação)

sábado, 21 de agosto de 2021

ONIOMANÍACOS

 


Com as últimas grandes e vultosas contratações Flamengo e Atlético MG desafiam a crise que atinge os clubes brasileiros, sem renda de bilheteria e com patrocínios minguados. Parece que acharam o pote de ouro no fim do arco íris ou seus dirigentes sofrem de oniomania, doença que atinge quem tem o desejo incontrolável de gastar. É como o dependente químico que necessita da droga. No caso da cartolagem o tratamento é difícil porque não é possível criar um grupo de "devedores anônimos". Eles não saem da mídia, são bastante conhecidos e, terminados seus mandatos desaparecem, deixando como legado dívidas impagáveis.

terça-feira, 17 de agosto de 2021

NÃO TEM JEITO, SÓ LAMBANÇA

 O VAR não funciona no futebol brasileiro. Mais uma prova disso aconteceu no jogo entre Chapecoense e América MG: 13 minutos de paralisação por causa do time de campo e do vídeo. A arbitragem, formada por uma equipe do RS, interferiu no primeiro tempo na expulsão do Alan Ruschel, jogador do time mineiro, revertida depois de cinco minutos de consultas. No segundo tempo o cartão amarelo virou vermelho para o zagueiro Kadu, da Chapecoense, com demora de mais seis minutos. Por último um gol legal do América foi anulado com dois minutos de espera.

A verdade é que os árbitros de campo e de vídeo só fazem trapalhadas, tornando o futebol muito chato, tantas são as interrupções desnecessárias e/ou equivocadas. Os tais comentaristas de arbitragem, uns corporativos, outros inábeis, ajudam a aumentar a confusão. O returno da série B, com a introdução do VAR, corre o risco de ficar pior do que já está, com os erros de arbitragem no gramado e na cabine. Já pensaram se os jogos fossem com torcida, e não apenas pela telinha? O policiamento não daria conta e o aposentado camburão voltaria à ativa para salvar a pele dos árbitros.

quinta-feira, 12 de agosto de 2021

QUANDO O ÁRBITRO DE VÍDEO ATRAPALHA MAIS DO QUE AJUDA

Vexame do VAR no jogo entre Olímpia 1 x 4 e Flamengo: chamou, com muito atraso, o árbitro para marcar pênalti contra os paraguaios, que na sequência já estavam no ataque em lance que resultou na expulsão de Felipe Luís, revertida depois. E entendeu como "acidental" o golpe de Arrascaeta no rosto do lateral do Olímpia, Victor Salazar, que saiu do campo em ambulância direto para o hospital. Como se trata da Conmebol ficará o dito pelo não dito e o time carioca pode se considerar classificado para a semifinal. Impossível reverter o placar no jogo de volta em Brasília, por causa da diferença dos números e da qualidade dos times.

quarta-feira, 11 de agosto de 2021

POIS NÃO É QUE PELÉ TINHA RAZÃO?

 O pior do negacionismo que nos aflige em meio à pandemia está com alguns médicos, que deveriam ser humanistas - generosidade, compaixão e preocupação com o ser humano -, até por questão do juramento que fazem. Ser a favor desta ou aquele ideologia faz parte da democracia. Mas, como fazem alguns parlamentares e cidadãos enganados pelo "Mito", avalizar corrupção num Ministério como o da Saúde, assumir campanha contra a vacina e a favor de medicamentos comprovadamente sem eficácia, propagar a imunidade de rebanho, negar o isolamento social, o uso de máscaras, votar a favor do voto auditável, neologismo para o voto impresso, tudo isso é crime lesa pátria e contra a saúde pública. Traduzido, nesse caso, como genocídio, pois estamos próximos dos 600 mil mortos pela Covid-19, vítimas de ações nefastas de governantes, políticos e empresários.

Voltando ao voto impresso, por pouco não passou na Câmara porque sessenta deputados covardes fugiram da raia, foram pra casa, e um se absteve. O presidente da Câmara, Arthur Lira, como Pilatos passou o tempo todo desta refrega lavando as mãos para, no final, frasear pateticamente: "Nesse caso não há vencedores nem vencidos". É um cretino, como os tantos que fizeram parte desta pantomima patrocinada por Bolsonaro e seus asseclas, entre eles boa parte da bancada catarinense.. Teve até quem, sem coragem para assumir seu voto contra, alegou ter votado errado. Como disse Pelé no século passado. o brasileiro tem que aprender a votar. Parabenizem o Rei e peçam desculpas a ele, aqueles que o execraram lá nos anos 70 por estas declarações.


quinta-feira, 5 de agosto de 2021

PRECISAMOS DE AÇÕES SÉRIAS NO ESPORTE

Todo o meu apoio às ações da Fesporte e do seu presidente, Kelvin Soares, O esporte catarinense há muito é relegado a segundo plano por governantes que desfilaram pelo Centro Administrativo com discursos politiqueiros que só trouxeram prejuízos aos gestores verdadeiramente envolvidos com o segmento. A própria Fesporte tem sido alvo de ações nefastas que transformaram a instituição num autêntico cabideiro. Desde a gestão Raimundo Colombo - 2011/2018 - passaram por lá oito presidentes. Alguns ficaram no cargo por meses apenas, uma solução de continuidade que não pode acontecer. Vale para federações e confederações deste país. Caso contrário veremos mais do mesmo e a cada conquista o discurso de "superação" - por falta de apoio, de estrutura e de políticas sérias -continuará sendo o mantra dos nossos atletas. 


"O Governo do Estado apresentou nesta quarta-feira, 4, o programa SC Mais Esporte com investimentos e projetos para o desenvolvimento do esporte catarinense. O evento de lançamento ocorreu no ginásio do Instituto Estadual de Educação, em Florianópolis.

“O esporte leva saúde e qualidade de vida para as pessoas. As olimpíadas de Tóquio nos mostram todo dia histórias de superação e de que com o investimento em esportes se vai longe”, ressaltou o governador Carlos Moisés.

O programa contempla as principais ações da Fesporte no fomento ao esporte e incentivo à prática esportiva. O Estado anunciou um aumento importante no orçamento da Fundação, que deve impactar positivamente essas ações. Serão aproximadamente R$ 60 milhões de orçamento anual, quase três vezes mais do que o orçamento anterior. Já tramitam 62 convênios na Fundação, em parceria com os municípios catarinenses, destinados à construção e reformas de instalações esportivas, totalizando R$ 5,6 milhões em investimentos.

O acesso a estes convênios está sendo divulgado nos canais de comunicação da Fundação, acompanhado de manuais para facilitar aos proponentes o entendimento do processo e fazer os recursos chegarem ao maior número de municípios possível.

“Mais esporte contribui para a melhora de vários indicadores em nosso estado: saúde, educação, segurança pública e desenvolvimento econômico. Sou professor e sei o que essas entregas de material esportivo e infraestrutura impactam no desenvolvimento do esporte, especialmente nas escolas”, destaca o presidente da Fesporte, Kelvin Soares" (foto Júlio Cavalheiro - texto Secom Governo do Estado)


.