quinta-feira, 9 de agosto de 2007

Quinta-feira


Pobres e perdulários

O Ministro do Esporte, Orlando Silva, em entrevista ao programa Roda Viva, segunda-feira à noite na TV Cultura, defendeu a realização da Copa de 2014 no Brasil. Argumentou que um evento desse porte melhora a auto-estima do brasileiro, como aconteceu no Pan-Americano, a cadeia produtiva e a infra-estrutura do país serão beneficiadas. Em nenhum momento da entrevista Orlando Silva falou em números, em custos, nem identificou a origem dos recursos. E ainda acenou com a possibilidade de o Brasil sediar também uma Olimpíada. Enquanto a população não tem suas necessidades básicas atendidas, nossos governantes insistem em ações político-eleitoreiras. Depois dos quase quatro bilhões gastos com o Pan, sem nenhum benefício paralelo a não ser manifestações de orgulho pátrio, como vamos entender a construção de arenas gigantescas para atender a Copa? Só o nordeste seria contemplado com quatro, sem contar as reformas e adaptações necessárias em equipamentos já existentes. A retórica de convencimento exercida por um Ministro do PC do B é insustentável em uma nação com tantas prioridades a serem viabilizadas. A saúde, por exemplo, até hoje não viu a cor do dinheiro da CPMF.

Me engana

O doutor Delfim, presidente da Federação, falou ao jornal O Esporte, de Tubarão, em matéria sob o título “O Poderoso Chefão”. Entre tantas pérolas, evoca para sua administração o sucesso dos clubes catarinenses no campeonato brasileiro, acha normal ficar 23 anos na presidência da FCF, discorre com naturalidade sobre suas duas aposentadorias – Universidade Federal e Assembléia – tem orgulho de construir uma sede em Balneário Camboriú, e diz que não amealhou desafetos, a não ser o ex-árbitro Dalmo Bozzano.

Bom e barato

O Criciúma faz boa campanha na série B do campeonato brasileiro depois de perder o título do estadual para a Chapecoense que acaba de ser eliminada da série C. Manteve o treinador perdedor, Gelson Silva que, recuperado, levou ao time à liderança, mesmo perdendo Clodoaldo, Fernandinho, Everaldo e Rudinei. As próximas perdas podem ser Luís Adriano e Eliseu, estão chegando Basílio e Edmilson. Até aqui os titulares e substitutos foram recrutados em clubes catarinenses, o grande mérito desta logística implantada no Criciúma.

Tipo exportação

Chegou também a vez dos treinadores carimbarem passaporte. Ivo Wortman, Tite, Pintado, Toninho Cerezo, Wagner Mancini, Hélio dos Anjos, Jorvan Vieira (Arábia), Parreira (África do Sul), Zico (Turquia) e Adilson Batista (Japão) estão fora, mostrando a capacidade do técnico brasileiro.

Na panela

O Inter foi buscar Gallo no Sport, desestabilizou o adversário e deixou mal o treinador com boa parte da torcida pernambucana. Uma derrota para o Palmeiras na quinta-feira pode obrigar o clube gaúcho a buscar outro técnico. O nome de Geninho já circula no Beira Rio. Ele substituiu Gallo no Sport, hoje em recuperação no brasileiro.

Seleção

Dunga chamou Ronaldinho e Kaká, uma obviedade, confirmou Júlio Batista, o grande vencedor do grupo que disputou a Copa América, e deixou fora o meia Anderson, o que teve menos chance na Venezuela. Pela frente amistosos com Argélia e México e a seguir a hora da verdade, com o início das eliminatórias para a Copa do Mundo.

Vassoura nova

A Comissão de Arbitragem muda de novo, saindo Edson Rezende para a entrada de Sérgio Correia. Quem sai alega sempre motivos particulares, versão que não merece crédito tantos são os problemas envolvendo as arbitragens a cada rodada do brasileiro.

Terceira divisão

O Avaí tem 40 jogadores, mas o técnico Alfredo Sampaio não consegue montar um time. Segue ladeira abaixo, rumo à série C, para desespero da torcida que não agüenta tanto vexame e não sabe mais a quem vaiar na Ressacada.

Matemática do tapetão

A série B tem dois líderes, um de direito, o Criciúma, com 36 pontos, e um de fato, o Marília, que estaria com 38 não tivesse perdido seis no TJD.




Nenhum comentário: