quarta-feira, 6 de maio de 2009

Ana Maria Braga Repórter


Não, eu ainda não estou variando nem chamando Jesus de Genésio, como popularmente se identificam malucos e bêbados. Quero apenas registrar a grande inovação do jornalismo brasileiro, incluam-se aí jornal, rádio e tv, todos transformando suas programações em grandes revistas de variedades com espaço para moda, culinária e saúde. São muitas, muitas mesmo, as entrevistas com estilistas, chefes de cozinha, doceiras e médicos, com inúmeras variações sobre os mesmos temas. Tem para todos os gostos e necessidades. Investigação, denúncias, reportagens sérias que atendam os anseios da comunidade, isso agora é com a Ana Maria Braga, nas manhãs alegres e coloridas da Globo. O programa até hoje se chama “Mais Você”, mas pelo jeito, logo, logo deve trocar de nome, descaracterizado que está em função do rumo que tomou nos últimos meses. Que tal a sugestão do título lá de cima. Está de acordo com a seriedade que tomou conta do horário reservado, até então, para aquela turma que fica em casa com tempo para aprender novas receitas e as últimas novidades nos cuidados com a pele.


A Ana e sua equipe de uma hora para outra resolveram se interessar, por exemplo, pela situação dos ainda desabrigados de Blumenau e região, vítimas das enchentes de novembro. Cerca de 1.500 pessoas permanecem em abrigos improvisados a espera da prometida reconstrução de suas casas. O que não aconteceu até agora, segundo apuraram a Ana e seus repórteres, graças ao jogo de empurra e à burocracia dos órgãos federais e estaduais. Os veículos de comunicação aqui da bela e santa terrinha ignoram o problema. Optaram por pautas mais amenas que não encham olhos e ouvidos de leitores, radio ouvintes e telespectadores com abordagens muito chocantes e que eventualmente venham a desagradar autoridades locais. Afinal, estamos em época do WTTC – parece nome de competição de surfe – esse brinquedo baratinho comprado para distrair nossas autoridades que não têm nada de relevante com que se preocupar, a não ser com o turismo, mesmo que à custa do assassinato da galinha dos ovos de ouro. Parece que os sem teto de Blumenau não estão até agora precisando de ajuda, que nossos hospitais gozam de plena saúde, a exemplo do sistema prisional – faz tempo que ninguém dá uma escapadinha -, e que a seca não ameaça nossa agro indústria. E por aí vai. Como ta tudo bem, ta tudo dominado, deixa essas bobagens de atendimento àquela gente que perdeu tudo com as enchentes para o jornalismo que mudou de pauta e vai bisbilhotar em Blumenau. Ainda mais agora que o clima endoidou de vez com a seca do sul e o aguaceiro no nordeste. É muita encrenca de uma vez só. É melhor a Ana e sua intrépida troupe tomarem conta destes assuntos desagradáveis.

Nenhum comentário: