domingo, 2 de maio de 2010

Decisões dominicais


O Avaí é o barbadão domingueiro


O domingo promete, principalmente para avaianos, gremistas e santistas. Os adversários envolvidos nas decisões de Florianópolis, Porto Alegre e São Paulo, as principais do dia, devem se agarrar com todas as rezas e todos os santos que estiverem ao alcance.

O Avaí é pule dez, gíria turfística para apontar um favorito descarado. Devolve o dinheiro da aposta. O Joinville tem que marcar três gols e não tomar nenhum para levar o caneco, Uma façanha difícil de acreditar que aconteça em plena Ressacada. A não ser que o técnico Chamusca esteja naqueles dias de mágico às avessas, quando afronta a inteligência e o bom senso, prejudicando não só o time, mas também a garotada revelada ali mesmo, perto do aeroporto.

O torcedor q ue for ao estádio Olímpico vai assistir algo parecido com a Ressacada. O Grêmio é favoritíssimo diante do Inter, cujo treinador, medroso de carteirinha, às vezes parece trocar experiências (negativas) com Chamusca. Fossati como técnico foi um grande goleiro. Só os dirigentes acreditam no homem das missões impossíveis, reverter a vantagem gremista na decisão do Campeonato Gaúcho e na Libertadores liquidar os argentinos do Banfield para quem o colorado perdeu fora de casa por dois gols de diferença.

Em São Paulo a festa santista só não acontece se o time inteiro tiver uma crise de apendicite aguda, patologia adotada no Fluminense em semana de decisão. O Santo André é um sparring valente, daqueles que se atrevem de vez em quando a dar uma estocada no adversário muito mais forte. Não mais que isso. Aposto todas as minhas fichas nos meninos da Vila. O título paulista é do Santos e ninguém tira.

E o Adriano, hem? Jorginho, o auxiliar técnico do Dunga, foi ao treino do Flamengo sábado para ver o jogador e conversar com ele, mas bateu com o nariz na porta. Por coincidência, depois de uma festa na Vila não sei qual, sexta-feira à noite, a mãe do rapaz teria passado, quem sabe preocupada com as travessuras do filho. Foi a justificativa para mais uma ausência do Adriano, que já deixara mais cedo o treino da sexta por causa de uma hipotética dor nas costas, talvez se poupando para o compromisso importante da noite. Não sei quanto ao Flamengo, mas já estou acreditando na falada coerência do Dunga, ou seja, não teremos um Imperador travesso na Copa da África.

É muita aposta para um domingo apenas. Corro o risco, confiante em um bom índice de acertos, até mesmo envolvendo possíveis decisões da Comissão Técnica da seleção brasileira.

Nenhum comentário: