quarta-feira, 11 de março de 2009

Craque tem que ser chato?

Riquelme não joga mais pela seleção argentina enquanto Maradona for o treinador. Ele se incomodou com algumas declarações sobre o momento do seu futebol e afirmou que os dois não poderão mais trabalhar juntos. Parece que é imprescindível a condição de chato para o sujeito ser um craque. Vide todos os que conhecemos, para falar apenas nos elevados a esta condição mais recentemente.
Vejam, por exemplo, o Ronaldo já passando dos limites com a inestimável colaboração da mídia fogueteira. Querem o Fenômeno de volta à seleção antes mesmo de ver concluída sua recuperação para jogar no Corinthians. A CBF já reagiu com o diretor Américo Farias respondendo à uma declaração do Ronaldo na Sport TV, quando afirmou ter um inimigo dentro da entidade e que só por isso descartava uma convocação futura. Américo disse que na CBF não existe jogador vetado, o que também não é verdade porque vetados são todos cuja convocação não é confirmada por Dunga. O fato é que craque, na maioria dos casos, é sinônimo de antipatia e maus bofes.

Nenhum comentário: