sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

O caos oficializado

Foi uma sexta-feira de tirar do sério o mais zen dos moradores de Florianópolis. Muita chuva, ruas entupidas de carros porque turista não tem o que fazer na praia com tempo ruim e se manda pros shoppings e supermercados. Tentei chegar ao mercado público pela Agronômica, não deu. O trânsito estava parado próximo à casa do governador. Como o homem tem helicóptero pra se movimentar, azar o nosso. Fiz outra tentativa pela Carvoeira. Nem cheguei lá. Parei na tranqueira da Beira Mar no Shopping Iguatemi. Voltei pra casa sem a encomenda de camarão. Sabe como é, quem vai ao Rio Grande do Sul visitar familiares tem que levar quilos e quilos do produto. Se viajar de mãos abanando não passa da fronteira no rio Mampituba. Ainda vou fazer uma última tentativa na passagem por Laguna. Se a 101 sul assim permitir, claro. O que espero que aconteça porque pretendo sair na madrugada. Voltando à nossa encrenca doméstica de toda temporada deixo uma pergunta para nossas atentas autoridades: cadê o policiamento de trânsito? Não vi ninguém por onde andei. Nem da guarda municipal nem da polícia militar. Tô reclamando disso faz tempo. Não precisa a cidade encher de turista para o trânsito virar essa esculhambação. Dia de chuva, então, nem pensar em andar duas quadras. Essa turma parece que tem medo de encolher. Desaparece. Aliás, até hoje não entendi a finalidade desta guarda municipal. Com a palavra o prefeito tetra-campeão.

Um comentário:

Anônimo disse...

O negócio ($$$$$) da GMF é aplicar multa, afinal é daí que vem o pagamento da galera de azuizinhos, que aliás também são difíceis de ser achados quando precisamos pagar a tal Zona Azul. Tiraram as maquininhas e os azuizinhos se escondem. É claro que o prefa não sabe disso pq anda de carro oficial e não caminha ali pelo centrão.

Paulo Jorge