terça-feira, 24 de abril de 2007

Terça-feira

NÚMEROS

Impressionante a recuperação da Chapecoense depois de um início medíocre no Catarinão. Os números não permitem qualquer tipo de contestação à campanha do time dirigido por Agenor Piccinin, campeão invicto do returno e classificado para a final contra o Criciúma. Fora de casa foram quatro vitórias e um empate. No Índio Condá a Chapecoense venceu cinco jogos e empatou um.

E AGORA?

Os dois finalistas correm o risco de jogar fora de casa a decisão. O Criciúma já está punido pelo TJD com a perda do mando de campo em uma partida por causa dos incidentes no jogo contra o Avaí. A Chapecoense pode ter a mesma sentença no julgamento desta terça-feira, igualmente por incidentes em seu estádio. Mesmo que aconteça punição idêntica à Chapecoense, aposto que manobras jurídicas reverterão o quadro. Aposta que não gostaria de ganhar, mas em se tratando de futebol catarinense acho que sou favorito.


AMADORISMO

Lamentável técnica e jornalisticamente a transmissão da TV Record domingo, do jogo entre Chapecoense e Atlético, em Ibirama. Não é possível encarar uma decisão de campeonato, com jogos em duas praças, utilizando profissionais que desconhecem totalmente o assunto que estão tratando. Pior ainda, narrando e comentando de São Paulo, “via tubo”. Desse jeito é melhor devolver os direitos de transmissão do campeonato à RBS. Sem falar nos precários recursos técnicos que impediam, em determinados momentos do jogo, que o telespectador visse a bola. Ora, a bola. Mero detalhe, como pensava o filósofo Parreira em relação ao gol.

SOBERBA

Caxias do Edson Gaúcho e São Paulo do Muricy Ramalho acabam de confirmar a máxima de que no futebol é preciso saber ganhar, às vezes mais do que saber perder. O primeiro não segurou uma vantagem de três gols e acabou eliminado do campeonato gaúcho, derrubando a perspectiva de uma final inédita com o Juventude. O segundo subestimou a força e a qualidade do São Caetano, perdendo também de goleada o jogo decisivo da semifinal. Abel Braga, campeão recente da Libertadores e do Mundo, está fora do Inter.

NA TANGENTE

O Santos do Luxemburgo escapou por pouco diante do Bragantino, adversário que eliminou sem marcar um golzinho em duas partidas graças critérios de desempate, no caso melhor campanha ao longo do Paulistão. O Juventude do Ivo Wortman comemorou sua classificação para a decisão com o Grêmio com uma derrota em seu estádio para o Veranópolis, a quem derrotara no primeiro jogo por 2 a 0.

ERRO GRAVE

Peter, atacante da Chapecoense, com um minuto de jogo acertou uma cotovelada no rosto do meia Sérgio, do Atlético de Ibirama. Sérgio saiu de campo com a boca sangrando para ser medicado à beira do gramado, sob os olhares do árbitro Wagner Tardelli e da auxiliar Cleidy Nunes Ribeiro. A agressão aconteceu na frente dos dois e é impossível que nenhum deles tenha visto. Tivesse a arbitragem encaminhado como manda a regra o desfecho deste lance, a história do jogo poderia ser outra.

INSEGURANÇA

Leio estarrecido nas colunas políticas que o Secretário a Segurança Pública de Santa Catarina, Ronaldo Benedet, já começou pela Grande Florianópolis articulações políticas visando eleições municipais de 2008. Enquanto isso, assassinatos, assaltos, polícia ausente das ruas, farra do boi comendo solta e outros delitos menores e maiores continuam enchendo os boletins de ocorrência do nosso dia a dia. Algum mala pode perguntar o que isso tem a ver com o esporte. Experimente estacionar seu carro próximo a um estádio ou ginásio, esperando no retorno encontra-lo intacto. Tente, com esse calor, assistir futebol na televisão deixando janelas ou portas abertas de sua casa. Arrisque voltar para casa tarde da noite, parando nos semáforos, ou caminhando por ruas desertas.

ESCOLA

Cuca e Dorival Júnior são as estrelas da vez. Os dois começaram suas carreiras passando por Figueirense, Avaí e Criciúma.





Nenhum comentário: