sexta-feira, 9 de agosto de 2013

O jogo da poltrona

Temos clássico amanhã e os clubes fazem questão de escondê-lo do torcedor. Ingressos caros, treinos secretos, escalações camufladas...Os treinadores e a cartolagem de Avaí e Figueirense pensam que ganham jogo afastando os times da torcida e da imprensa. Discutir o quê sobre o clássico? Depois reclamam que o espetáculo é mal divulgado. Primeiro não cabe à imprensa fazer a divulgação, mas sim aos clubes envolvidos. Não fazemos assessoria de imprensa nem marketing. Trabalhamos com a informação que nos é passada para transmiti-la ao telespectador, ouvinte, leitor. Segundo, depois desta invencionice de treinos fechados, relações de concentrados escondida, cultivo da desinformação, enfim, o torcedor perdeu o interesse pelo acompanhamento do noticiário do seu clube e vai ao estádio sem aquela empolgação provocada pelo envolvimento pré-jogo. Perguntem a qualquer pessoa da arquibancada se ela tem na ponta da língua a escalação do seu time. É um "profissionalismo" às avessas, com o endosso de dirigentes, comissões técnicas e assessorias de imprensa das agremiações. As estatísticas não mentem, o público está cada vez mais distante dos estádios e dos seus times do coração. Sem falar que ainda tem os sem noção que defendem jogos de uma só torcida. Querem justificar com isso suas incompetências como administradores, organizadores e, principalmente, como responsáveis pela segurança. Combatam a rivalidade e matem o pouco que ainda resta de interesse pelo esporte preferido no país. E entreguem de vez os que orgulhosamente vestem a camisa ao conforto da poltrona e do pay per view.

Nenhum comentário: