sábado, 22 de junho de 2013

A crítica ofende quem não tem memória

A crítica ofende quem não tem memória - Quando ouço a presidente Dilma querendo mais recursos para a saúde e royalties do petróleo para a educação, acho bom refrescar a memória dos que se sentem ofendidos com as críticas e o clamor das ruas. Em primeiro lugar, esquecem de contabilizar a CPMF, dinheiro que nos foi roubado durante anos sem que até hoje saibamos do seu destino. Deveria ser para a saúde, mas... Aliás, é bom também lembrar os situacionistas sobre este imposto e o discurso do passado a respeito do mesmo assunto. No tempo dos tucanos eram contra, assumiram o governo mudaram o discurso e votaram a favor. Queriam CPMF até hoje.

No seu pronunciamento Dilma ainda requentou o assunto sobre a importação de milhares de médicos, ao invés de anunciar atendimento ao setor saúde e melhores condições de trabalho aos profissionais brasileiros que precisam revalidação de diploma se forem trabalhar fora do país.
Quanto aos recursos para a Copa e Olimpíada, duas observações: esse dinheiro, gasto perdulariamente, poderia socorrer parte das demandas da educação com bons salários para professores de todas as instâncias do ensino público, construção de boas escolas e cumprir com as exigências do ensino e pesquisa nas universidades. Não entendo como desenvolver um país sem educação de qualidade.


A presidente chegou a dizer que os recursos liberados por empréstimos voltariam aos cofres públicos, pagos pelas empresas gestoras das novas arenas e dos estádios reformados. Meia verdade mais meia mentira dá uma mentira inteira. E grande. Estas dividas contraídas para reconstruir o Maracanã, a Fonte Nova, erguer as arenas de Pernambuco, das Dunas em Natal, O Itaquerão, do Corinthians, mais a barbaridade que se gastou no Mané Garrincha em Brasília, serão pagas pelos governos que buscaram recursos junto ao BNDES/programa Procopa/Arenas. É uma parceria que só dá lucro ao privado e muito prejuízo ao público. O Pan 2007 é um exemplo recente, um escândalo engavetado e que pode se repetir em 2014/2016. A companheirada que não gosta de críticas e se ofende com facilidade deveria refrescar a memória para poder refletir sobre isso.

Nenhum comentário: