sábado, 5 de janeiro de 2013

Polícia para quem precisa

O caos em Laguna sem fiscalização policial
Nestes dias de congestionamentos na cidade e nas estradas tenho notado a ausência da polícia rodoviária nos principais pontos de imobilidade quase total. Exemplinhos fáceis:

1 -quem mora no sul da ilha ou quer acessar as praias da região sofre com o trevo do Rio Tavares, na temporada a qualquer hora do dia. Enquanto isso carros da Polícia Rodoviária Estadual podem ser vistos nos dois sentidos da Via Expressa Sul. De tocaia e radar em punho, seus agentes fazem a vigilia contra o excesso de velocidade. Louvável a preocupação com a obediência às leis de trânsito. Mas não seria interessante, também, uma equipe para organizar o vai-quem-quer no trevo em questão?

2 - Passei por Laguna vindo do litoral gaúcho na quinta-feira pela manhã. Perdi hora e meia obedecendo a imensa fila formada logo após Capivari. No anda-e-para desse tempo observei apressadinhos utilizando o acostamento para ultrapassagem e vias laterais para encurtar o caminho até a ponte de Cabeçudas. Esperei por alguma ação da Polícia Rodoviária Federal. Em vão. Lá pelas tantas vi um carro passando rapidamente pelo acostamento. Vão dar um jeito nos fura-filas, pensei esperançoso. Que nada, o veículo policial evaporou. Antes de me livrar daquele furdunço ainda vi, no gargalo que se forma na cabeceira da ponte, um caminhoneiro jogar  seu peso-pesado sobre um carro Gol danificando parte da lateral. Ficou no salve-se quem puder, nada aconteceu.

Nenhum comentário: