terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Mudam as moscas, mas o bolo é o mesmo



 Os clubes catarinenses vão receber apenas R$ 3.120,000,00 da tv aberta pela transmissão do campeonato estadual. O acordo, com contrato assinado, foi de R$ 4 milhões, mas a Federação beliscou R$ 400 mil e a Associação de Clubes R$ 480 mil. E a arrecadação do pay per view, não entra nessa conta? 

E o patrocínio da Chevrolet, que dará nome ao campeonato, foi de quanto? Miiiistério. O que se comenta, porque os beneficiados não divulgam, é que os presidentes das federações por um período terão um carro da marca para circular "pelaí". Tudo de acordo com a mais saudável transparência, tão comum no futebol e na cartolagem brasileira.

A divisão da bolada (?) entre os clubes ficou assim: Figueirense, Avaí, Criciúma e Joinville, R$ 436.800,00 cada;

Chapecoense R$ 374.400,00;

Metropolitano, Atlético Ibirama e Camboriú R$ 249.600,00 cada;

Juventus e Guarani R$ 124.800,00 cada.

A tv paga pouco, os clubes, donos do espetáculo, ganham uma migalha, a Federação Catarinense de Futebol e a Associação de Clubes, proporcionalmente, são contempladas com as fatias maiores do bolo. O Avaí já teve Joao Nilson Zunino na presidência da Associação, agora ocupada por Wilfredo Brillinger, do Figueirense, ambos empresários bem sucedidos. Mas, na defesa dos seus filiados, parece que a competência não é a mesma.

Nenhum comentário: