segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Diário da Minha Rua 1




Ou a cara feia do Lela


Por sugestão do meu amigo e blogueiro de primeira linha, o César Valente, começo hoje o Diário da Minha Rua, a servidão Manoel Isidoro Augusto, cuja programação para drenagem e posterior calçamento com lajotas continua como promessa ou uma piada de extremo mau gosto.

O prazo estabelecido nas placas fincadas no início da rua já se foi faz tempo. Vamos comemorar mais de três meses entre anúncios, serviços interrompidos por chuva ou simples desaparecimento da máquina, seu operador e seus ajudantes. Sem contar operários machucados, canos da Casan quebrados, fios rompidos e outros acidentes de menor porte.

O atual intendente se chama João e não dá a mínima para os moradores que reclamam ao vivo ou por telefone. O Vanderlei, ex-intendente e candidato a vereador, conhecido por Lela, tem alguns slogans na sua propaganda política. Um deles diz que “O Lela é a cara do Rio Tavares”. Não conheço o dito pessoalmente, só falei com ele por telefone, e ele ainda não deu o ar da graça por aqui, mas esse sujeito deve ser muito feio.

Os mais otimistas e esperançosos como eu continuam tirando os carros de casa bem cedo para não ficarem trancados pela máquina, hoje muito mais no imaginário dos moradores, quase um fantasma que nos assombra todos os dias. Beirando o ridículo, quinta-feira tivemos mais um sinal de que existe algo de podre no Reino do Rio Tavares: o operador de máquina apareceu sozinho no começo da rua sem o seu instrumento de trabalho. Será que roubaram o trator? Pode ser, porque hoje não tem ninguém trabalhando.

Nenhum comentário: