sexta-feira, 25 de maio de 2012

Politiqueiros e politicagem no esporte


É uma pena, mas a briga política está acirrada e agitando (para o mal) os bastidores do esporte catarinense que não o futebol. Temos aí uma bela pauta para uma boa editoria de esportes interessada não apenas em Avaí e Figueirense.

Trata-se de uma situação conturbada que envolve a Fesporte, o Conselho Estadual do Esporte e também o recém criado, por determinação do governador Colombo,  Comitê Organizador Local (SC) para cidades não sedes da Copa 2014. O ato está publicado no Diário Oficial e o presidente será o Secretário de Turismo, Cultura e Esporte de plantão, o vice o seu adjunto, figuras decorativas apenas. A verdadeira comissão de frente e de trabalho terá no comando um secretário executivo, cujo nome mais forte, (é o dono da ideia) era até poucos dias o de Adalir Pecus Borsatti, deixando a Fesporte.

Isso também pode tomar outro rumo caso Hercílio Paraguassu encontre inesperadas concorrências para o cargo que tanto almeja, a presidência da Fesporte. Esta instituição, responsável pelos mais importantes eventos esportivos de Santa Catarina, atualmente é uma das maiores devedoras da praça, transformada que foi em um grande cabide de emprego a consumir recursos destinados à organização e realização das competições.

Mais uma vez a política estende seus tentáculos com gente demais para poucos cargos. São os maus políticos trabalhando contra o esporte.  Um dos artífices de toda essa lambança é o ex-secretário e atual deputado estadual, Gilmar Kanaesel. Para piorar o que já está péssimo José Natal, o substituto de César Souza Junior e secretário tampão da Sol, sai daqui a pouco para fazer parte  como vice de uma chapa para a prefeitura de São José. Em outro arranjo político estão prometendo esta importante Secretaria que abriga cultura, turismo e esporte, para um político de Imbituba que, fácil deduzir, não tem a mínima intimidade com a área.  

Até algum administrador público criar coragem e optar por uma ação não politiqueira o esporte catarinense segue à deriva. Paraguassu até prova em contrário está na presidência do Conselho substituindo Sérgio Galdino sem ter sido até hoje oficialmente nomeado. Fica no sai não sai de olho na presidência da Fesporte, ainda sob o comando do Pecus que, por sua vez, aguarda nomeação para a secretaria executiva do COL SC. Enquanto isso políticos de vários partidos mandam ver numa queda de braço lutando por cargos e instituições pelas quais não têm o menor apreço.

Um comentário:

Anônimo disse...

Tudo culpa do LHS, mas em Joinville o PMDB tá perdendo a Majestade, veja no video http://www.youtube.com/watch?v=vypW3RxckvE&feature=youtu.be