quinta-feira, 31 de março de 2011

O jornal do poste




A Casa Cor, aquele evento nômade de decoração de interiores, frufrus e assemelhados, começou em novo endereço dia 19 de março e termina dia 1º de maio, por ironia mês de aniversário do jornal O Estado, se ainda vivo fosse.

O mais importante jornal catarinense, mais uma ironia, viveu seus últimos e gloriosos anos em frente ao Cemitério Jardim da Paz. Ali agonizou e morreu. O prédio e seus arquivos que contam sua história e boa parte da história de Santa Catarina ficaram durante anos abandonados por conta de ume pendenga judicial. Dava dó passar por lá, na descida do morro, e ver primeiro a depredação, depois a pichação. Agora está tudo colorido, mascarando o verdadeiro significado do lugar que um dia foi a grande escola do jornalismo catarinense. Eu mesmo, vindo do Jornal de Santa Catarina e de Blumenau, comecinho da década de 70, aprendi quase tudo naquele jornalão.

Caminhando pela Beira Mar Norte, trecho do Koxixos em direção ao centro da cidade, me dei conta que O Estado, carinhosamente até hoje chamado de “o mais antigo”, virou o jornal do poste. Estão lá, ao longo deste trajeto, penduradas nos postes de iluminação, placas vermelhas indicando o endereço da Casa Cor 2011: Antigo jornal O Estado, SC-401 – 2600.

Nenhum comentário: