terça-feira, 11 de maio de 2010

A pátria de chuteiras. Ui, que medo!




A convocação do Dunga não fugiu do esperado. Adriano mesmo cavou a sua cova e abriu vaga para Grafite. Tava na cara. A única surpresa foi a substituição do Vitor por Gomes. Não há muita diferença e o goleiro do Grêmio acabou injustiçado.

O duro vai ser agüentar um time sem talento, cheio de brucutus em baixa ou em fim de carreira. O Felipe Melo, o mais novo deles, logo após a divulgação da lista desligou no ar o telefone na cara do comentarista da ESPN Brasil, conhecido como PVC, por causa de uma pergunta sobre sua convocação. Ensinamentos do mestre. Por essas e outras não vale a pena discutir a presença de alguns eleitos neste grupo, muito menos as ausências. A entrevista coletiva pós-convocação foi uma lástima.

Pior ainda vai ser ouvir durante quase três meses o discurso do Dunga, repetitivo, burro, chato, enfadonho, ditatorial e reacionário. Já contaminou o auxiliar técnico Jorginho, mal que pode alcançar alguns jogadores. O homem não resiste a um questionamento sem devolver com uma agressão. E como gosta de falar em patriotismo. Ricardo Teixeira escolheu bem o seu “Goebbels”.

Um comentário:

duda hamilton disse...

É melhor uma pátria de hawaianas, não é mesmo?