quarta-feira, 3 de março de 2010

Algo de podre no Reino do Balneário



O presidente da Federação Catarinense, Delfim de Pádua Peixoto Filho, não tem mesmo um pingo de vergonha na cara. Saiu da sua sala na pomposa sede de Balneário Camboriú e foi ao Tribunal de Justiça Desportiva - fica tudo em casa - para defender o Joinvlle, ameaçado de perder o mando de campo no campeonato estadual por causa da invasão de torcedores na final do turno, jogo contra o Avaí.

Com a maior cara de pau e sem o menor constrangimento, o irremovível Delfim argumentou que a invasão foi pacífica, não houve ameaça a ninguém dentro do campo. Na verdade a situação era de alto risco, porque os torcedores da casa tinham facilitado o acesso ao gramado enquanto ali estavam, ainda, jogadores adversários e jornalistas de Florianópolis trabalhando.

Invasão pacífica? É a primeira vez que ouço esta aberração. Que um cartola da estirpe do Delfim diga uma bobagem destas, é compreensível. Quem defende interesses obscuros como os que estão se insinuando é capaz de qualquer coisa. Mas uma Comissão Disciplinar do TJD aceitar essa balela? Quem são esses homens de notório saber jurídico, como gostam de falar os magistrados? O Joinville foi absolvido, ganhou de goleada por 4 a 0, com queria o ínclito presidente da Federação.

Do jeito que estão encaminhando o sorteio (?) para as escalas de arbitragem, as decisões nos tribunais esportivos e outros acontecimentos no mínimo estranhos, sou obrigado a pensar no que me disse outro dia um profundo conhecedor dos bastidores do nosso futebol. Esse ano ninguém tira o título do Joinville.

Nenhum comentário: