sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Elementar meu caro progamador

Faz tempo passei da idade para ver um filme como Alvin e os Esquilos 2. Nunca suportei a Xuxa, minhas fantasias eram outras, acredito eu mais interessantes e de mais qualidade. Portanto, nem por engano vou entrar em um cinema para ver O Mistério da Feiurinha. Gosto muito de cães, mas não me convidem para ver Sempre ao teu lado. Não acho o Akita um cão interessante, embora bonito e o Richard Gere eu deixo para as moçoilas que adoram galãs de cabelos grisalhos. Que tal aturar o filme propaganda Lula, o Filho do Brasil? Deus me livre. Prefiro chamá-lo de filho...deixa pra lá.

Avatar, uma superprodução de ficção científica, me agrada um pouco, mas não para pagar ingresso e aturar um monte de aborrecentes baulhentos, conversando o tempo inteiro, comendo pipoca e chupando bala. Daqui a pouco este filme aparece na locadora e vejo em casa tranqüilo com as minhas pipoquinhas, bem mais baratas e saudáveis.

Quero assistir o último filme do Almodóvar, Abraços Partidos, com a minha musa Penélope Cruz. De que jeito? Tinha uma só sessão, às 22 horas, em um cinema apenas, e durante três dias na semana. O recém lançado Sherlock Holmes, com o Robert Downey Júnior, estreou no Brasil, menos em Florianópolis.

Enquanto aumento meu mau humor cada vez que consulto a programação cinematográfica perco a esperança de que um dia não seja tratado como imbecil pelos programadores e monopolizadores dos cinemas da cidade. Com o cinema do CIC fechado, a desgraceira é completa.


7 comentários:

Anônimo disse...

Elementar... $$$$

Quanto a falta do CIC, sobram os alternativos, como a cinemateca do BADESC (será este o nome) aqui na Visconde de Ouro Preto. Procura na Internet que tem a programação desta e de outras em Floripa e São José.

Sobre Avatar, arrisque-se numa sessão 3D após as 21 hs, tem bem menos pivete, e as TVs 3D no Brasil somente após 2012 ou pelo teu fornecedor de fronteira a partir do 2º semestre de 2010 ;>

Nei disse...

O mais trágico é que existe não apenas tecnologia para o espectador fazer sua própria programação, como todos os grandes filmes que você queira ver, os grandes clássicos, dos grandes diretores, e ainda mais um pouco, além de inúmeros lançamentos, está tudo na rede, disponível. Mas é considerado crime. Por isso existem partidos emergentes que estão fazendo sucesso na Europa que defendem a liberação. Enquanto isso, marcamos passo ficando na mão dos que odeiam cinema e são responsáveis pelas programaçãoes das chamadas salas de espetáculos e dos filmes da TV. É uma coisa obsoleta depender desses trastes.

H.M.B. disse...

Realmente é um saco, pagar R$ 32,00 - porque ir sozinho não tem graça (quase) nenhuma - pelos ingressos, comprados dois dias antes para escolher o melhor lugar (ingenuidade), enfrentar uma fila desnecessária pra comprar refri, enfrentar outra fila idiota para passar na catraca e entrar no cinema, que abriu com 15 minutos de atraso (foi o primeiro filme que eu fui no cinema que atrasou para abrir a catraca - acredito que para não apressar a galera que estava comprando suas pipocas e refris com lucro exorbitante no único caixa aberto), enfrentar um cinema lotado e ainda dar azar de sentar perto de algum adolescente fedorento, que provavelmente pisou em cocô antes de entrar no cinema.

Foi isso que eu passei para ver Avatar 3D no Floripa Shopping, terça passada. É ridículo o desrespeito que esses cinemas mainstream tem pelas pessoas, e é ridículo que as pessoas aceitem isso tão passivamente, com caras de trouxas.

O problema é que Avatar sem tela grande de cinema e sem 3D não vai ter graça (quase) nenhuma.

Anônimo disse...

Voltei,

Só para avisar, se vc ainda não tinha descoberto, mas o Sherlock estreou aqui em Floripa sim, é um filme divertido, bem no estilo Starky e Hutch, só que o Sherlock obviamente é o gênio (as vezes os genioso tb) da dupla.

Assista e depois comente ok??

Anônimo disse...

Aproveitando o gancho deixado pelo Nei, existem picaretas em qualquer parte do globo, e os piores são aqueles que julgamos os mais honestos... Prova disto, no caso das produções culturais o lobby americano (disney, paramont, fox, etc.) aumentou o tempo do copyright que ia no máximo até 50 anos, para 75 com projeção de futuras atualizaçõe para o infinito e além...

Até os técnicos (especialistas) do tio Sam sabem que se não deu de recuperar o investimento nos primeiros 10 anos esquece, no fundo a história de proteger o direito autoral por mais de 25 anos para estimular a produção cultural individual é balela. é história pra proteger o monopólio sobre o ratinho, o pato e o coelhinho, se é que vcs me entendem.

Se o assunto fosse tratado de forma séria todas a músicas, filmes, séries e livros com mais de 10 anos de publicação já seriam de domínio público, haveria inclusive uma força ainda maior para a criação de novidade, já que seria esta mola propulsora do ineditismo (remunerado, é claro, por um tempo justo e não o atual, abusivo).

Francisco disse...

Cara embora muito que vs disse seja verdade , eu te achei pra la de critico , mais isso num deixa de ser uma coisa boa ,se éee que vs me entende mais, mais quase ninguem me entende então deixa pra la .Então, cara to querendo dizer que tu tens muito ATITUDE ! e isso é bom ;)

willson disse...

If I were to wager a guess at why, I’d say that users don’t “browse” forms. The interaction style users engage in with forms is different, and requires its own study and design best practices.
study abroad