quarta-feira, 17 de junho de 2009

Porque e o que perdemos



Lima, lateral esquerdo, 18 anos, revelação do Criciúma, está indo para o Internacional. É mais um garoto que deixamos escapar para cobrir os buracos da incompetência e administrações falidas. Desprezamos o futuro, valorizamos o passado, aquele de pior resultado e que nos traz os caixeiros viajantes, beijadores de distintivos um dia aqui, outro acolá. E assim vamos montando nossos times, repletos de jogadores caros, próximos da aposentadoria, de nenhum retorno para o clube. Ou então apenas para o bolso dos mercadores de atletas que agem sob o manto da parceria que tem um lado só e que não deixa legado algum. Não é necessário procurar muita explicação para nossos atuais fracassos nas competições nacionais.

Mulher de malandro

É o que parecem alguns repórteres que acompanham a seleção brasileira e participam das entrevistas coletivas. Como gostam de apanhar de um sujeito mal humorado, sem o mínimo de polimento ou preparo para ocupar um cargo tão importante como o de Dunga. Que ele tenha lá seus fetiches com determinados jogadores, problema é dele. Mas então que agüente com humildade como manda o figurino das boas maneiras e que os jornalistas se dêem ao respeito. Num e noutro caso fica tudo como dantes.

A casa tremeu

O deslize de um assessor de imprensa ao chamar de mentiroso um companheiro de profissão que tentara entrevistar o presidente Zunino, do Avaí, mostrou sem maquiagem a ambigüidade da postura de quem deveria zelar pelo bom ambiente do clube em momento tão delicado. Dirigentes, comissão técnica, jogadores, todos pedem tranqüilidade para que o time possa melhorar conseguir sua primeira vitória. Só que são estes os primeiros a balançar a roseira.

Pilatos na FCF

Mal começou e a segunda divisão já deu xabu com o WO do Navegantes em Concórdia. Sem jogadores e com o ônibus quebrado o clube mostrou a fragilidade da sua estrutura para enfrentar uma competição. Claro que a Federação lavará as mãos, como faz sempre que os problemas resultantes da sua desorganização começam a aparecer. Ou será que a repetição destas confusões todo ano é culpa do Espírito Santo?

Pega na mentira

Foi um dos auxiliares que avisou o árbitro sobre o pênalti cometido pelo defensor egípcio. Assim a Fifa em nota oficial respondeu à indagação do Egito sobre o lance do final do jogo. Quer dizer, o sujeito do outro lado do campo, com um monte de jogadores à sua frente, deve ter olhos de lince. E se fosse o contrário, pênalti contra o Brasil, qual seria o procedimento da arbitragem e da Fifa?

Responsabilidade

Com o Marcílio Dias fora da série C, sobrou o Criciúma, com um pontinho apenas, para salvar o moral do futebol catarinense na terceira divisão. A não ser que o milagre dos peixes aconteça para o Marinheiro.

Uma seleção furiosa

A Espanha fez picadinho da Nova Zelândia na primeira rodada deste grupo na Copa das Confederações. Coisa que seleção brasileira poderia imitar quando pega um adversário mais fraco. Mas aí tem o cansaço, o fuso horário, o desgaste das viagens e das competições paralelas. Como se as outras equipes, incluindo a própria Espanha, não estivessem participando também das eliminatórias para a Copa do Mundo.

Uma torcida complacente

O brasileiro gosta de bola como ninguém. E não dá desculpa para não ir ao estádio, apesar do preço dos ingressos, do desconforto, da violência, dos maus tratos, dos horários absurdos determinados pela televisão e, muitas vezes do mau futebol apresentado por essas estrelas endinheiradas e cansadas.

País rico é assim

O Maracanã, reformado trocentas vezes, passará novamente por maquiagem para a Copa de 2014, brincadeira que pode custar aos cofres do governo do Rio de Janeiro a bagatela de R$ 1 bilhão. E os caras de pau não ficam nem vermelhos quando admitem estas cifras.

Me engana

A candidatura do Rio de Janeiro para a Olimpíada de 2016 foi a que teve a pior avaliação do Comitê Olímpico Internacional. No entanto o povo não desiste e conta com o apoio do presidente Lula para convencer os membros do COI que o Rio é uma cidade maravilhosamente olímpica. Do festerê com o nosso dinheiro nos Jogos Pan Americanos ninguém lembra, nem mesmo o Lula, que prometeu ir à Copenhague na Dinamarca, dia 2 de outubro, quando o Comitê Olímpico anunciará a cidade escolhida. As concorrentes são Madri, Tóquio e Chicago, uma barbadinha para nós, ricos e organizadíssimos.




Nenhum comentário: