sexta-feira, 12 de junho de 2009

Uma semana assombrada e demoníaca

Dunga poderá dormir sossegado nas suas primeiras noites em Bloemfonteim, na África do Sul, enquanto espera pelo início da Copa das Confederações. A classificação para a Copa de 2010 está na mão, garantia de tranqüilidade para o treinador brasileiro. Ao contrario de Maradona, assombrado por duas derrotas consecutivas e pelo o surgimento das primeiras críticas da mídia e de boa parte da torcida que o idolatra pelo jogador que foi. E a primeira visão fantasmagórica para a Argentina na volta às eliminatórias, em 5 de setembro, será justamente o time de Dunga.

O fogo do inferno

A volta de Avaí e Figueirense ao paraíso do Brasileirão depende muito dos resultados deste final de semana em São Paulo e Goiás. Derrotas diante, respectivamente, do Grêmio Barueri e do Atlético Goianiense, remeterão os representantes catarinenses às portas do inferno. O diabinho do rebaixamento passará a freqüentar a Ressacada e o Orlando Scarpelli (em festa pelos 88 anos do clube) nos primeiros dias da próxima semana e o cheiro de enxofre ficará insuportável para jogadores e comissões técnicas. Vale o mesmo para Criciúma e Marcílio Dias, os chamuscados da série C.

Elefantes brancos e caros

Secretário Executivo para assessoramento ao Comitê de Gestão das Ações Governamentais nos Jogos Pan-Americanos de 2007. O nome do cargo é pomposo, e seu ocupante na época, Ricardo Leyser Gonçalves, do Ministério do Esporte, acaba de ser condenado pelo Tribunal de Contas da União a restituir R$ 2,7 milhões aos cofres da “viúva”. A condenação é por superfaturamento em obras para instalação de ar condicionado, montagem de cadeiras, camas, instalações de persianas e fornecimento de colchões, entre outros serviços na Vila Pan-Americana. Vila que por sinal está abandonada, a exemplo de outros equipamentos hoje transformados em verdadeiros elefantes brancos. Parece pouco, mas este é apenas um entre as dezenas de processos a serem desovados pelo TCU.

O da prancheta

Lembram quem é o treinador da África do Sul? É o Joel Santana, o substituto de Parreira, que voltou para o Brasil cansado de guerra e disposto a abandonar o futebol. Pela tevê teremos a oportunidade de rever o Joel e sua prancheta, quem sabe fonte de inspiração para Parreira dar uma ajeitadinha no Fluminense.

Corda no pescoço

E o Uruguai, quem diria, está ameaçado de ficar novamente fora de um mundial. Junto, e ladeira abaixo, estão Colômbia, Venezuela, Bolívia e Peru.

Liderança à vista

O Chile, treinado por um argentino, está em segundo lugar, um ponto apenas atrás do Brasil. E na próxima rodada jogará em casa contra a Venezuela, enquanto o time brasileiro estará em Buenos Aires.



Nenhum comentário: