quinta-feira, 30 de abril de 2009

O pior do esporte

Fui contratado pela Federação Catarinense do Desporto Universitário – FCDU - para trabalhar em Chapecó de terça-feira a domingo nos Jogos Universitários. Missão: coordenar a divulgação desta importante competição classificatória para a Olimpíada Universitária Brasileira que será disputada em Fortaleza de 14 a 23 de agosto. Nem cheguei a botar o pé na estrada porque um diretor da Fesporte, parceira da FCDU na execução do evento, vetou minha participação na assessoria de imprensa, que ficou a cargo de um profissional da casa. As explicações deste cidadão para o veto ao meu trabalho e à minha presença em Chapecó foram supostas críticas que eu teria feito aos atuais dirigentes da Fesporte, chamando-os de ladrões. Podem vasculhar meu blog, nunca fui além da crítica a determinados procedimentos, o que, por conhecimento de causa, tenho o direito e o dever de fazer como jornalista que vive o esporte catarinense há quase 40 anos. O desrespeito à minha história profissional, está registrado nas palavras ameaçadoras transmitidas por este dirigente ao presidente da FCDU, Manoel Rebelo, intimado a me demitir antes que eu pudesse levar adiante a segunda etapa do meu trabalho, iniciado semana passada durante o Congresso Técnico da competição: “onde a Fesporte estiver o Mário Medaglia tem que passar longe, caso contrário está desfeita nossa parceria”. Para completar seu serviço sujo só restou ao meu detrator envenenar o diretor geral da Fesporte, Cacá Pavanello, tarefa cumprida com sucesso.

2 comentários:

Anônimo disse...

essa foi complicada, tem gente que acha que manda em tudo e todos.
Abracos Amigo.
o mundo da voltas e a gente so tem que ficar esperando.....

Anônimo disse...

Amigo Mário receba meu apoio incondicional e meu total repúdio a essa atitude intolerável. Mas vindo de quem acredito ser, não me surpreende. Uma pequenez tamanha que o nome desse ser irracional não merece citado. Só faltava isso para completar a obra que estão construindo na entidade.

Paulo