quarta-feira, 25 de março de 2009

Lei Pelé & empresários

Poucos o conhecem no futebol brasileiro. Vagner Ribeiro possui mais de cem jogadores. Agente Fifa, ele se juntou ao empresário Jota Hawilla para formar a “Traffic Talentos”.

Ele é o empresário da mais recente revelação do futebol a aparecer na mídia, Neymar do Santos. Neymar, 17 anos, ganha R$ 80 mil mensais. Tem contrato até 2014 no Santos. Sua multa rescisória é de 30 milhões de euros, ou, quase R$ 90 milhões. Outro jogador dele é Lulinha, 18 anos, que ganha R$ 70 mil e está no Corinthians. Tem contrato até 2012. A multa rescisória é de R$ 50 milhões.

Keirrison? Jota Hawilla é o dono do passe. Recebeu uma proposta do futebol espanhol de 25 milhões de euros, mas não quis conversa neste momento. Disse que vai esperar pelo menos um ano.

Qual o papel dos clubes de futebol nessa história? São dois:

1) Funcionam como chamarizes para atrair garotos da base que assistem aos seus times e ídolos na TV sonhando um dia chegar lá também. Os talentosos, quase sempre muito pobres e quanto mais pobres melhor porque fica mais fácil negociar com os pais, são capturados precocemente por contratos leoninos pelos empresários, que ficam de espreita. Nem aos treinos eles vão. Muito quente. Permanecem em escritórios refrigerados assistindo a Dvds que chegam do Brasil inteiro. Se deu certo, é claro que rola uma comissãozinha para o remetente...
2) Servem de vitrine para que os jogadores revelados ´mostrem serviço´ e depois sejam negociados ao exterior em transações milionárias.

A famigerada Lei Pelé dá amparo legal a esse panorama.

Alguém aí está preocupado com títulos? Amor da torcida? Lealdade? Fortalecimento dos clubes?

Os clubes, pateticamente, ficam com as dívidas, decorrentes de administrações ruinosas e impunes. Os dez clubes do futebol brasileiro que mais devem somam atualmente débitos de 2,037 bilhões de reais.

Para terminar, observem que as palavras Traffic e tráfico são quase iguais.

(Colaboração do meu amigo e jornalista Marcos Heise com informações do blog do Cosme Rimoli)

2 comentários:

Anônimo disse...

tá tudo dominado mesmo.Um imbecil,como o Pelé,fazendo leis, só poderia dar no que deu.Aliás,até falando ele faz merda...

Edson Regis disse...

Penso que Pele não é nenhum imbecil, ele como Ministro dos Esportes, apresentou um "projeto de Lei", que sofreu inumeras alterações no Congresso Nacional e foi aprovado por este mesmo Congresso e sancionado pelo Presidente da Republica FHS. Penso tambem, pelo que representou e representa o nosso futebol, devemos respeitar Pele, considerado cidadão do mundo.