segunda-feira, 8 de setembro de 2008

O divã do Lula

A seleção venceu o Chile com autoridade. Foi uma atuação condizente com o futebol de cinco títulos mundiais e com jogadores rotineiramente indicados como os melhores do mundo. Exceção feita ao hoje burocrata Ronaldinho, inexplicavelmente preso a uma estreita faixa de campo e sem nenhuma inspiração, os principais selecionáveis mostraram o talento que têm. Mas acima de tudo responderam aos anseios da torcida com garra e a tal atitude, o lugar comum na linguagem da boleirada. Vocabulário de que se valeu o presidente-torcedor Lula para alinhavar uma boa espinafrada na turma às vésperas da partida contra o Chile. Teve gente que não gostou, caso do goleiro Júlio César, que além de não aceitar as críticas à falta de dedicação e amor à camisa de alguns, respondeu com uma grosseria. Dunga e seus pupilos devem agradecer. Lula parece ter mexido com os brios do pessoal que passou pelo Chile em Santiago com criatividade e muita garra. Como o jogo de quarta-feira contra a Bolívia será no Brasil, quem sabe nosso presidente dá uma passada pelo vestiário para uma conversinha ao pé do ouvido. Para receber e saudar o Presidente em nome do grupo sugiro Júlio César.

2 comentários:

Anônimo disse...

O Júlio César certamente falou o que muitos gostariam de falar, mas que escondidos no anonimato e à espera de alguma benesse lulista preferem silenciar. O presidente falou o que não devia e ouviu o que não queria. Ele precisa cuidar melhor do País e começar a governar, pois continua no palanque. Nunca antes neste País a roubalheira foi tão descarada.

Paulo

Anônimo disse...

O sr Paulo Escondido no Anonimato precisa estudar um pouco mais a história do país e suas histórias de roubalheiras descaradas!

f. ("escondida no anonimato")