sábado, 22 de setembro de 2007

Sábado/domingo

Argentina 3 x 1 Brasil

Só o Botafogo conseguiu passar pelos argentinos no confronto da quarta-feira, e assim mesmo com uma vitória magrinha sobre o River Plate por 1 a 0. Tomara consiga segurar o time de Daniel Passarela em Buenos Aires, no Monumental de Nuñez. O incensado São Paulo parou no Boca Juniors, na Bombonera, e mesmo que tenha perdido somente por 2 a 1, terá que jogar muito mais no Morumbi para seguir adiante na Sul-americana.. Para o Vasco a missão é mais difícil, embora o Lanus não seja lá essas coisas. Mas, perdeu de 2 a 0, e reverter isso diante de uma equipe argentina, ainda que no Rio, é missão quase impossível. Pior fez o Goiás no Serra Dourada, diante do inexpressivo e desconhecido Arsenal, de Sarandi. Depois de virar o jogo para 2 a 1 com dois gols do eficientíssimo Paulo Baier, permitiu a reação do adversário em dois minutos, no finalzinho, e agora tem que reagir fora de casa. O jornalista e dramaturgo Nelson Rodrigues, se vivo fosse, veria sacramentada hoje sua máxima: diante de times argentinos assumimos nosso complexo de vira-latas.

Brasileiros

O Figueirense começa a série de dois jogos fora do Scarpelli enfrentando o São Paulo, mordido pela derrota em Buenos Aires. Imagino o humor do Muricy Ramalho. Vai querer descontar no Figueirense que joga sem o zagueiro Chicão, impulsionador do time. Ruy não tem feito falta, mas André Santos, na outra lateral, será ausência sentida, valendo o mesmo para o atacante Jean Carlos. Nesse jogo são mínimas as chances do representante catarinense na série A, que depois vai a Minas enfrentar o Cruzeiro. Na volta pode ter que encarar a ameaça do rebaixamento. Por incrível que pareça, o favorito nesta rodada é o Avaí, que joga na Ressacada contra o CRB. Se perder pode enrolar a bandeira a juntar todos os santos disponíveis para tentar permanecer na série B. O decadente Criciúma busca recuperação pelas mãos do caseiro Roberto Cavalo. Mas o jogo é fora, contra o Fortaleza, que precisa ganhar de qualquer jeito. Um sábado para aflição de três torcidas.

Bandeira branca

Caso a Malwee derrube os paulistas do Intelli neste sábado, em Jaraguá do Sul, teremos uma final catarinense na Liga de futsal. O Joinville, classificado depois de vencer o Orlândia, aguarda por esta decisão. Pelos antecedentes do confronto entre os representantes de Jaraguá e Joinville, a segurança terá trabalho nas duas arenas. Para evitar o pior será preciso hastear a bandeira da paz entre atletas e torcidas.

Sina

O goleiro Andrey, xodó do técnico Adilson Fernandes na sua passagem pelo Figueirense, come o pão amassado pelo diabo no Steua Bucarest, clube do futebol romeno e de propriedade do milionário dos imóveis, Gigi Becali. Com salários atrasados e sem receber 50% do valor da negociação feita pelo Grêmio, clube de onde saiu, Andrey vive aos 23 anos outra grande decepção de sua ainda incipiente carreira. Antes o jovem goleiro, na sua passagem pelo Figueirense, custou a ser aceito pela torcida que o vaiava em todos os jogos. Só ficou no Scarpelli e ganhou a confiança da arquibancada graças ao aval do treinador. Agora não admite deixar o Steua sem receber o que tem direito e já foi ameaçado, junto com a mulher, pelo dono do clube, de expulsão do apartamento onde moram.

Os melhores na pior

A assistente Ana Paula Oliveira e o árbitro gaúcho Leonardo Gaciba, caíram no teste com critérios estabelecidos pela FIFA e aplicado esta semana pela CBF. Rodaram na avaliação física. Gaciba, por dois anos consecutivos apontado como o melhor da arbitragem brasileira, foi reprovado pela segunda vez e justifica seu mau desempenho com um “bloqueio psicológico”. Ana Paula promete dar um tempo até o próximo teste. Não volta tão cedo.

Desastre

O Internacional tem bons jogadores, mas não tem time. É o que dizem os principais jornalistas gaúchos sobre o momento do grupo dirigido por Abel Braga, considerado um dos principais responsáveis por esta indefinição, junto com o antecessor Alexandre Gallo. Fracassos no campeonato gaúcho, Libertadores e a péssima campanha no Brasileirão, já apagaram a euforia pelas conquistas de 2006.


Nenhum comentário: