quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Quinta-feira

Queda livre

O Criciúma pode terminar a 25ª rodada da série B em quarto lugar, atrás de Coritiba, Ipatinga e Brasiliense. Sem contar a perigosa aproximação de outras equipes, uma séria ameaça às pretensões do representante catarinense de chegar à série A do Brasileirão. São as conseqüências para uma equipe que nos últimos 27 pontos disputados conquistou apenas cinco. Isso depois de liderar a competição por 18 rodadas. Com a derrota para o Ipatinga na terça-feira, dentro do Heriberto Hulse, o técnico René Weber, além de vaias ouviu constrangido o coro das arquibancadas pedindo a volta de Gelson Silva. René dirigiu o time em apenas dois jogos, perdeu os dois e já foi substituído por Roberto Cavalo.

Contradições

O técnico Alexandre Gallo chegou a Florianópolis para substituir Mário Sérgio no Figueirense com bico muito comprido para um tucano tão novo, iniciante que é na profissão. Gallo trouxe com ele três auxiliares técnicos. Como o clube tem alegado escassez de recursos para a contratação de reforços, uma comissão técnica de luxo deve custar barato.

Rebecão

A Federação Internacional de Natação (Fina) quer investigar a nadadora Rebeca Gusmão, campeã dos 50 e 100 metros livres e primeira brasileira a conquistar medalha de ouro no Pan. Rebeca, que semana passada se sentiu mal após uma prova no Troféu José Finkel, em Florianópolis, teve índices anormais de testosterona – hormônio masculino – no exame antidoping realizado em maio de 2006. Além disso, a atleta apresenta desenvolvimento físico acima do normal para sua idade.

Primeira impressão

Sérgio Corrêa, o novo presidente da Comissão Nacional de Arbitragem de Futebol (Conaf), mostrou a cara pela primeira vez segunda-feira à noite, no programa “Bem Amigos” da Sportv. Sem Galvão Bueno, os convidados puderam falar e perguntar bastante em cima de lances polêmicos editados especialmente para explorar a presença de Sérgio, que também falou a vontade, sem omitir nomes ou situações constrangedoras para alguns árbitros. Somando e dividindo parece que o homem é exibido e falastrão, comportamento inadequado para o cargo que exerce.

Esporte franciscano

Várias cidades do interior do Estado, especialmente Brusque, Jaraguá do Sul, Blumenau e Joinville, têm abrigado competições importantes para o esporte amador. Handebol, vôlei e futsal são as mais contempladas, com aproveitamento de equipamentos esportivos adequados. Em Florianópolis, fora a natação no Complexo Aquático da Unisul, continuamos abaixo do rabo do cachorro, graças à inércia total das fundações do Estado e Município. Um dos poucos eventos destinados à Capital, a Maratona Internacional, acaba de ser esvaziada pela Fesporte e jogada para novembro, quase final de temporada para os principais atletas da modalidade. Acabaram com a Maratoninha, alijando as crianças da competição, sendo que a premiação em dinheiro vale apenas para a Maratona. Os corredores da rústica receberão somente troféus e medalhas. E o Fundesporte?

Mídia da conveniência

Parte da mídia esportiva brasileira acaba de assistir a uma boa lição de jornalismo com as matérias publicadas pela Folha de São Paulo e assinadas pelo comentarista Juca Kfouri sobre a sujeirada da parceria Corinthians/MSI. Evasão de divisas e lavagem de dinheiro estão entre os crimes denunciados através de investigações da Polícia Federal e reveladas pelo jornal. Por muito menos, quase nada, aqui se proíbe a entrada de jornalistas em estádios, nega-se entrevistas e acesso de repórteres a atividades corriqueiras do dia a dia dos clubes.

Pesadelo leonino

O técnico Leão certamente não se encaixa entre os muitos brasileiros que enxergam Florianópolis e seus encantos como objeto de consumo. Simplesmente porque toda vez que vem aqui no campeonato brasileiro leva uma sapatada, tendo como algoz o Figueirense. Foi assim com o Santos, com o Palmeiras, quando sofreu uma goleada e perdeu o cargo e com o Atlético Mineiro, seu time da hora.

Raposas no galinheiro

O Ministério do Esporte formou comissões para investigar possíveis irregularidades nos contratos firmados para os Jogos Pan-americanos no Rio de Janeiro.


Nenhum comentário: