sábado, 28 de abril de 2007

Sábado

OESTE CONTRA O SUL

Quem conhece um pouco Chapecó tem noção do que representa a possibilidade de um título no futebol. Chegando à cidade por estes dias que antecedem a final com o Criciúma dá para imaginar o sentimento que tomou conta da população. Nos altos da avenida Getúlio Vargas, lá está o monumento ao Desbravador, maculado em sua autenticidade pela bandeira da Chapecoense, fincada aos seus pés por iniciativa da Fundação Municipal de Esportes e da Prefeitura, com auxílio do Corpo de Bombeiros. São os preparativos finais para o primeiro combate do Oeste contra o inimigo que vem do Sul, vestido de amarelo e preto com um Tigre no seu estandarte.

VANTAGEM

Com a absolvição no TJD, conseguindo mandar em casa a primeira partida, a Chapecoense já fez um a zero. O envolvimento da torcida é muito grande e jogar fora do Índio Condá, caso vingasse a punição, representaria praticamente entregar a faixa de campeão para o Criciúma. Pena que os veículos de comunicação ainda não tenham conseguido passar ao ouvinte, telespectador, leitor, o clima que tomou conta daquela região.

DOIS PESOS
Enquanto isso o Criciúma esperneia como pode para anular a decisão do TJD, diferente da que foi aplicada à Chapecoense. Dizer que o jurídico de um trabalhou melhor que o do outro é uma explicação muito simplista. E, cá entre nós, bastante suspeita.
ZONA
Prefeito de Florianópolis, Dário Berger, e comitiva, entregaram quinta-feira ao presidente da CBF, Ricardo Teixeira, uma cópia da legislação que permite a mudança de zoneamento para construção do novo estádio do Figueirense. Presentes à solenidade o alto clero do clube e, naturalmente, o presidente da FCF.

CADÊ O DINHEIRO?

O gato comeu, cantaria a Gal Gosta. A Fundação Municipal de Esportes de Blumenau ainda não recebeu os mais de 1 milhão de reais captados junto a 16 empresas para obras finais no Parque Ramiro Ruediger e reformas no Galegão. São recursos do Fundesporte que já deveriam estar nos cofres blumenauenses desde o final do ano passado.

FILME ANTIGO

E muito chato. O Avaí anuncia sua enésima reformulação, a apenas 15 dias da estréia no campeonato brasileiro, sem que se conheça um projeto consistente e inovador. Vem por aí aquela arenga de sempre com muita promessa que o torcedor já sabe de trás pra frente. Anúncio de parceria, nova comissão técnica, novo treinador, mais jogadores e o risco iminente de outro fracasso. Só que desta vez uma decepção no campeonato brasileiro pode custar muito caro para os avaianos.

QUE FEIO

Tenho acompanhado nas páginas do Diarinho um noticiário absolutamente maluco sobre o Marcílio Dias. Outro dia o atual presidente do clube, Marlon Bendini, correu para a imprensa e desmentiu o estado de insolvência do Marinheiro que estaria inclusive devendo salários para os jogadores. Mais recentemente li que o ex-presidente, Carlos Crispim, alheio a tantos problemas do clube que dirigiu, reuniu companheiros em Navegantes para uma galinhada, comemorando uma possível candidatura na eleição municipal do ano que vem. A notícia mais recente confirma tudo o que fora desmentido por dirigentes com um agravante: o atual presidente não atende telefonemas dos credores, entre eles do Tonho Gil e seu filho, que formaram uma das comissões técnicas. E ano que vem, tudo como dantes.

CÉU DE BRIGADEIRO

Tudo azul pelos lados do Orlando Scarpelli em se tratando de Copa do Brasil. A eliminação do Coríntians pelo Náutico está agitando os bastidores do Figueirense. O raciocínio baseia-se na hipótese de que o clube pernambucano é mais fácil de ser derrotado, ainda mais levando em conta o fato de o jogo decisivo ser em casa. Daí para as semifinais é um pulo. O otimismo não é fora de propósito pois o Figueirense já superou situações bem piores.

ESPERANÇA
Em Blumenau garantem que não é simples promessa. A pista sintética para o atletismo sai no complexo esportivo do Sesi. E este ano ainda.

Nenhum comentário: